8 de fevereiro de 2010

Herpes labial incomoda mais no verão

A infecção causada por herpes é bem mais comum do que se imagina: cerca de 90% da população sofre com as bolhinhas que estouram, principalmente, quando o tempo esquenta. De acordo com o infectologista do Hospital Professor Edmundo Vasconcelos, Artur Timerman, a doença se divide em diferentes etapas.

"No começo, o lábio arde, coça, incha e surgem bolhas doloridas. Um ou dois dias depois, elas se rompem e tornam-se uma só ferida com secreção. É nessa hora que o vírus pode ser transmitido com mais facilidade. No último estágio, depois de uns cinco dias, a ferida seca e sara", diz o infectologista.

Entre outros fatores, exposição ao sol e a baixa resistência imunológica aumentam as chances do herpes se manifestar, portanto, é importante tomar alguns cuidados, especialmente no verão. Alimentar-se bem, proteger os lábios com protetor solar de alto fator e conter as situações de estresse (reação que baixa a imunidade) são algumas das atitudes preventivas.

Já para evitar que a doença se espalhe para outras regiões do rosto e, principalmente, para outras pessoas é indicado, de acordo com o médico:

- Lavar sempre as mãos, após tocar na infecção;
- Não colocar as mãos nos olhos;
- Evitar contato com os lábios de outras pessoas;
- Manter rigorosa higienização na zona afetada.

O que é Herpes Labial?
O herpes é uma infecção causada pelo Herpes simplex virus. O contato com o vírus ocorre geralmente na infância, mas muitas vezes a doença não se manifesta nesta época. O vírus atravessa a pele e, percorrendo um nervo, se instala no organismo de forma latente, até que venha a ser reativado.
A reativação do vírus pode ocorrer devido a diversos fatores desencadeantes, tais como: exposição à luz solar intensa, fadiga física e mental, estresse emocional, febre ou outras infecções que diminuam a resistência orgânica. Algumas pessoas tem maior possibilidade de apresentar os sintomas do herpes. Outras, mesmo em contato com o vírus, nunca apresentam a doença, pois sua imunidade não permite o seu desenvolvimento.

O que se sente?
Inicialmente pode haver coceira e ardência no local onde surgirão as lesões.  A seguir, formam-se pequenas bolhas agrupadas como num buquê sobre área avermelhada e inchada.  As bolhas rompem-se liberando líquido rico em vírus e formando uma ferida. É a fase de maior perigo de transmissão da doença.  A ferida começa a secar formando uma crosta que dará início à cicatrização.
a duração da doença é de cerca de 5 a 10 dias.

Cuidados:
 
o tratamento deve ser iniciado tão logo comecem os primeiros sintomas, assim o surto deverá ser de menor intensidade e duração;  evite furar as vesículas; evite beijar ou falar muito próximo de outras pessoas, principalmente de crianças se a localização for labial; evite relações sexuais se for de localização genital; lave sempre bem as mãos após manipular as feridas pois a virose pode ser transmitida para outros locais de seu próprio corpo, especialmente as mucosas oculares, bucal e genital.
 

Quando o episódio do herpes pode reaparecer?                                                                          

Gripe quando febril, menstruação, transtorno emocional, "stress", traumatismo, mudança de altitude e exposição ao sol, principalmente no verão, são fatores desencadeantes conhecidos, variando de pessoa para pessoa.
Uma vez reativado, o vírus que estava "quieto" volta do nervo para a mucosa e para a pele, reaparecendo a infecção pelo herpes.
Fonte: www.clinicavalinhos.com.br
 


 

0 comentários:

 

Assine vc também!

Subscribe via email

Cadstre seu email:

Delivered by FeedBurner

Arquivo do blog

EnferNat Copyright © 2009 HTML by Ipietoon. Lay by Nat Viana