14 de janeiro de 2011

Problemas de Enfermagem (baseado em CARPENITO, 2001)

fil completo

domingo, 20 de julho de 2008

Problemas de Enfermagem (baseado em CARPENITO, 2001)

Amamentação ineficaz


Estado no qual a mãe e/ou a criança experimentam insatisfação ou dificuldade com o processo de amamentação.
C.D.: Insatisfação no processo de amamentação; constatação de percepção de suprimento inadequado de leite; inabilidade da criança para pegar corretamente o seio materno; ausência de sinais de liberação de ocitocina; sinais observáveis de ingestão inadequada no infante; inconstância da sucção do seio; esvaziamento incompleto das mamas a cada amamentação; agitação e choro manifestados pela criança na primeira hora após a amamentação; falta de respostas da criança a outras medidas de conforto; contração da mandíbula e arqueamento da criança, chorando ao seio.
F.R.: Prematuridade; anomalia da criança; anomalia do seio materno; oportunidade insuficiente para a amamentação no seio; ferimento persistente do mamilo, depois da primeira semana de amamentação; cirurgia da mama, anterior à amamentação; história prévia de fracasso na amamentação; suplementação alimentar artificial com mamadeiras; reflexo de sucção da criança enfraquecido; falta de apoio do cônjuge e/ou da família; déficit de conhecimento; Interrupção da amamentação; ansiedade materna.


Angústia Espiritual
Estado no qual o indivíduo experimenta uma ruptura no princípio de vida, o qual permeia todo o seu ser, integra e transcende sua natureza biológica e psicossocial.
C.D.: preocupação expressa com o significado da vida ou da morte e/ou com sistema de crenças; raiva de Deus; questionamento do significado do sofrimento; verbalização de conflito íntimo sobre crenças; questionamento do significado da própria existência; incapacidade para participar de práticas religiosas usuais; busca de assistência espiritual; questionamento das implicações morais ou éticas de condutas terapêuticas; humor negro; deslocamento da raiva para representantes religiosos; descrição de pesadelos ou distúrbios do sono; alteração de comportamento ou humor evidenciado por raiva, choro, isolamento, preocupação, ansiedade, hostilidade, apatia, etc.
F.R.: separação de laços religiosos ou culturais; desafio ao sistema de crenças e valores relacionado, por exemplo, às implicações morais ou éticas da terapia ou a intenso sofrimento.

Ansiedade
Estado subjetivo no qual o indivíduo experimenta um sentimento de incômodo e inquietação, cuja fonte é, frequentemente, inespecífica ou desconhecida por ele.
C.D: Tensão aumentada; Apreensão; incapacidade aumentada dolorosa e persistente; incerteza; medo; espanto; remorso; excitação excessiva; tagarelice; angústia; nervosismo; sentimento de inadequação; tremores; temor de conseqüências inespecíficas; preocupações expressas de novas mudanças em eventos da vida; preocupação; impaciência; inquietação; insônia; olhando ao redor; pobre contato olho-a-olho; tremor das mãos; movimentos de automatismo (movimentos evasivos do pé, movimentos da mão ou do braço); tensão facial; voz trêmula; atenção aumentada; respiração aumentada.
F.R..: conflitos inconscientes de valores e metas essenciais da vida; ameaça no autoconceito; ameaça de morte; ameaça ou mudança no estado de saúde; ameaça ou mudança na função do papel; ameaça ou mudança no ambiente; ameaça ou mudança na interação dos padrões; crise situacional ou existencial; contágio ou transmissão interpessoal; necessidades não atendidas.

Baixa auto-estima

Estado no qual o indivíduo apresenta auto-avaliação negativa dos sentimentos e da capacidade pessoal em resposta a uma perda ou a uma mudança quando, anteriormente, tinha uma auto-avaliação positiva.
C.D.: ocorrência de episódios de auto-avaliação negativa em resposta a situações da vida, em uma pessoa com uma auto-avaliação anteriormente positiva; verbalização de sentimentos negativos em relação a si (por ex.: inutilidade, desamparo). auto-verbalização negativa; expressões de vergonha ou culpa; auto-avaliação como incapaz de lidar com situações-problemas; dificuldade para tomar decisões. verbalização negativa sobre si mesmo; Expressão de vergonha ou culpa; Auto-avaliação como incapaz de lidar com situações-problema; Racionalização contrária ou rejeição de feedback positivo e exagero de feedback negativo sobre si; Medo de tentar situações novas; superacomodação na dependência da opinião de outros; indecisão; Busca excessiva de afirmação.

Crescimento e desenvolvimento alterados

Estado no qual o indivíduo demonstra desvios no crescimento ou no desenvolvimento, em relação a sua faixa etária;
C.D.: Retardamento ou dificuldade no desempenho de habilidades (motora, social ou expressiva) típicas de sua faixa etária; Alteração no crescimento físico; Inabilidade para o desempenho do autocuidado ou autocontrole das atividades apropriadas para a idade. Afeto embotado; Desatenção, respostas diminuídas.
F.R.: Cuidado inadequado; Indiferença; Responsabilidade inconsistente; Cuidados por múltiplas pessoas; Separação de pessoas significativas; Deficiência da estimulação e do ambiente; Consequências de incapacidade física; Dependência prescrita.


- Deambulação prejudicada

Débito cardíaco diminuído
Estado no qual o indivíduo apresenta uma redução na quantidade de sangue bombeado pelo coração, insuficientemente para atender as necessidades dos tecidos corporais.
C.D.: variação nas verificações da pressão sangüínea; arritmias; fadigas; estase jugular; mudanças de coloração na pele e membranas mucosas; oligúria; pulso periférico diminuído; pele dormente e fria; estertores; dispnéia, ortopnéia; inquietação, mudanças no estado mental; respiração curta; síncope; vertigem; edema; expectoração espumosa; ritmo de galope; fraqueza.
F.R..: não desenvolvido.
Déficit de conhecimento (especificar)

Estado no qual o indivíduo não tem a informação correta ou completa sobre aspectos necessários para manter ou melhorar seu bem-estar.
C.D.: Verbalização de problema; Dificuldade de seguir instruções; Desempenho incorreto de teste; Comportamentos inapropriados ou exagerados (por ex.: histérico, hostil, agitado, apático).
F.R.: Falta de experiência prévia; Dificuldade de memorização; Interpretação errada de informação; Limitação cognitiva; Falta de interesse em aprender; Falta de familiaridade com recursos de informação.

Déficit de lazer

Estado no qual o indivíduo experimenta uma diminuição na estimulação, no interesse ou no engajamento em atividades recreativas ou de lazer.
C.D.: verbalização de tédio; Desejo de ter alguma coisa para fazer; desejo de ler, etc.; impossibilidade de realizar, no hospital, os hobbies usuais.
F.R.: Falta de atividade de lazer no ambiente, durante hospitalização prolongada, ou em tratamentos longos e freqüentes.


- Déficit do volume de líquidos


Déficit no autocuidado (especificar): alimentação, banho/higiene, vestir-se/arrumar-se, higiene íntima

Estado no qual o indivíduo experimenta uma habilidade prejudicada para realizar ou completar, por si mesmo, atividades de vestir-se e/ou arrumar-se.
C.D.: Habilidade prejudicada para vestir ou retirar as roupas; habilidade prejudicada para obter ou repor as roupas; habilidade prejudicada para abotoar as roupas; Inabilidade para manter a aparência a um nível satisfatório.
F.R.: Intolerância à atividade física; força e resistência diminuídas; Dor ou desconforto; Enfraquecimento perceptual ou cognitivo; enfraquecimento neuromuscular; enfraquecimento músculo-esquelético; depressão ou ansiedade severa.


Deglutição prejudicada

Estado no qual o indivíduo tem diminuída sua habilidade para a passagem voluntária de líquidos ou sólidos da boca para o estômago.
C.D.: Evidência observada da dificuldade de deglutição (por ex.: estase da comida na cavidade oral, tosse ou sufocação); Evidência de expiração.
F.R.: Enfraquecimento neuromuscular (por ex.: ausência ou diminuição do reflexo de deglutição, força diminuída ou falta de controle dos músculos envolvidos na mastigação, percepção enfraquecida, paralisia facial); Obstrução mecânica (por ex.: edema, tubo traqueostomia, tumor); Fadiga; Nível de consciência afetado; Cavidade orofaríngea irritada, inflamada.

- Dentição alterada

Deprivação do sono

Estado no qual o indivíduo apresenta alteração no período do sono, causando desconforto ou interferido no estilo de vida desejado.
C.D.: Queixas verbalizadas de dificuldades para adormecer; acorda mais cedo ou mais tarde do que a hora desejada; sono interrompido; queixa verbal de não sentir-se bem repousado; mudança no comportamento e desempenho (irritabilidade aumentada, inquietação, desorientação, letargia, desatenção); sinais físicos (nistagmo leve e passageiro, leve tremor da mão, pálpebras caídas, fácies inexpressivas, olheira, freqüentes bocejos, postura alterada); fala grossa, com pronúncia confusa e palavras incorretas.
F.R.: alterações sensoriais internas (doenças, estresse psicológico) ; e/ou externas (mudanças ambientais, situações sociais) .


- Desempenho de papel alterado
Desesperança

Estado subjetivo no qual o indivíduo vê escolhas pessoais disponíveis limitadas, ou sem alternativas, e está incapaz de mobilizar energia em seu próprio favor.
C.D.: Passividade; Verbalização diminuída; Afeto diminuído; Uso constante de negativas. Falta de iniciativa; Resposta diminuída ao estímulo; afeto diminuído; mutismo; olhos fechados; Encolhimento dos ombros em resposta ao interlocutor; apetite diminuído; Sono aumentado ou diminuído; falta de envolvimento no cuidado, ou passividade em permitir o cuidado.
F.R.: Prolongada restrição de atividade, favorecendo o isolamento; condição de enfraquecimento ou deterioração fisiológica; Estresse prolongado; Abandono; Perda da crença em valores transcendentais ou em Deus.

- Diarréia

Disfunção na reação de pesar

Estado no qual o indivíduo experimenta prolongadas respostas anormais ou alteradas que acompanham as perdas de afeto ou de pessoas queridas, de funções ou parte do corpo, ou de bens materiais.
C.D.: Expressão verbal de angústia diante da perda; Negação de perda; Expressão de culpa; Expressão de conflitos não resolvidos; Raiva prolongada; Tristeza prolongada; Choro prolongado; Dificuldade em expressar a perda; Alteração em hábitos de comer, padrão do sono, padrões de sonho, nível de atividade, libido; Idealização do objeto de perda; Recordação de experiências passadas; Interferência nas atividades cotidianas; Regressão no desenvolvimento; Afeto lábil; Alterações na concentração e/ou no desempenho de tarefas.
F.R.: Perda real ou percebida de objeto (a palavra objeto é usada no sentido mais amplo incluindo pessoas, bens, trabalho, status, lar, ideais, partes e processos do corpo, entre outros); Doença crônica fatal.

- Disfunção sexual
- Disrreflexia
- Distúrbio da auto-estima
- Distúrbio da identidade pessoal

Distúrbio da imagem corporal

Estado no qual o indivíduo experimenta mudança na maneira de perceber sua própria imagem corporal.
C.D.: Falta de parte do corpo; Real mudança de estrutura ou função; Não olhar para uma parte do corpo; Não tocar uma parte do corpo; Esconder ou expor demais uma parte do corpo (intencional ou não intencionalmente); Trauma por não funcionamento de parte do corpo; Mudança no envolvimento social; Mudança na habilidade para avaliar a relação especial do corpo no ambiente. Mudança no estilo de vida; Temor de rejeição ou reação de outros; Focalização na aparência, funcionamento ou vigor do passado; Sentimentos negativos em relação ao corpo; Sentimento de desamparo, desesperança ou impotência; Preocupação com a mudança ou com a perda; Ênfase no vigor remanescente e nas elevadas realizações; Extensão dos limites do corpo para incorporar objetos do ambiente; Recusa verificação de mudança real.
F.R.: Biofísico; Perceptivo ou cognitivo; Psicossocial; Cultural ou espiritual.

- Distúrbio do campo de energia
- Distúrbio no padrão de sono
Dor
Estado no qual o indivíduo experimenta e relata a presença de severo desconforto ou uma sensação desconfortável.
C.D.: Comunicação verbal ou não verbal de dor. Comportamento defensivo e protetor; Introspecção; Focalização limitada (percepção alterada do tempo, isolamento de contato social, dificuldade no processo de pensamento); Comportamento compatível com desconforto (gemer, chorar, caminhar, solicitar apoio de outras pessoas, inquietação); Expressão facial de dor (olhar sem brilho, abatido, fixo ou com movimentos dispersos, careta); Alteração no tônus muscular (podendo passar de relaxado a rígido); Respostas autônomas não vistas em dor crônica estável (diaforese, mudança na pressão arterial e no pulso, dilatação pupilar, freqüência respiratória aumentada ou diminuída).
F.R.: Agentes de injúria (biológicos, químicos, físicos, psicológicos) .

Dor crônica

Estado no qual o indivíduo experimenta dor que continua por mais de seis meses.
C.R.: Relato verbal ou evidência observada de dor experimentada por mais de seis meses, Temor de reincidência da dor; Isolamento físico e social; Habilidade alterada para continuar atividades prévias; Anorexia; Mudanças de peso; Mudança no padrão de sono; Expressão facial; Movimento de autoproteção.
F.R: Incapacidade física ou psicossocial crônica.

- Eliminação traqueobrônquica ineficaz
- Eliminação urinária alterada
- Estratégias de resolução comunitária: ineficazes
- Estratégias defensivas de resolução
- Estratégias ineficazes de resolução familiar
- Estratégias ineficazes de resolução familiar: comprometedoras
- Estratégias ineficazes de resolução familiar: incapacitantes
- Estratégias ineficazes de resolução familiar: potencial para crescimento
- Estratégias ineficazes de resolução individual
- Excesso do volume de líquidos


Fadiga
Estado no qual o indivíduo experimenta uma sensação constante de sobrecarga, de exaustão e diminuição da capacidade para o trabalho físico e mental.
C.D.: verbalização de uma contínua e esmagadora falta de energia; inabilidade para manter as rotinas usuais; necessidade de energia adicional para realizar tarefas rotineiras; aumento de queixas físicas; Irritabilidade ou labilidade emocional; habilidade prejudicada para concentração; desempenho diminuído; letargia ou indiferença; desinteresse pelo ambiente ou introspecção; libido diminuída; tendência a acidentes.
F.R.: Metabolismo energético aumentado ou diminuído; sobrecarga de demanda psicológica ou emocional; aumento da energia necessária para desempenhar atividades cotidianas; excessivas demandas sociais e/ou de papéis; estados de desconforto; alteração química do corpo (por ex.: medicamentos, abstinência de drogas, quimioterapia); depressão.

- Fracasso em prosperar, adulto

Manutenção do lar prejudicado

Estado no qual o indivíduo, ou membro da família, apresenta inabilidade para manter, independentemente, um ambiente seguro que promova o crescimento imediato.
C.D.: Dificuldade expressa por membro da familía em manter o lar num padrão confortável; necessidade de assistência para manutenção da moradia; débitos significativos ou crise financeira relatados por membros da família; Ambiente desorganizado; equipamentos de cozinha, roupas pessoais, ou de cama, sujos ou não disponíveis; acumulação de sujeira, restos de comida ou lixo; odores desagradáveis; Temperatura do ambiente inapropriada; membro da família sobrecarregado (por ex.: exausto, ansioso); Falta de equipamento necessário ou de apoio; presença de insetos e roedores; repetida desordem de higiene, infestação ou infecção.
F.R.: Doença ou injúria do indivíduo ou membro da família; organização ou planejamento familiar insuficiente; finanças insuficientes; falta de contato com os recursos da comunidade; função emocional e cognitiva prejudicada; falta de conhecimento; falta de modelo de papel; sistemas de apoio inadequados.

- Gerenciamento ineficaz do regime terapêutico: comunidade
- Gerenciamento ineficaz do regime terapêutico: família
- Gerenciamento ineficaz do regime terapêutico: indivíduo
- Habilidade de transferência prejudicada
- Hipertermia
- Hipotermia
Impotência
Estado no qual o indivíduo tem a percepção de que o que ele pode fazer não altera, significativamente, um resultado, uma falta percebida do controle de uma situação corrente, ou de um acontecimento repentino.
C.D.: Expressões verbais relativas à falta de controle ou de influência sobre uma situação; Expressões verbais relativas à falta total de controle ou de influência sobre um resultado; Expressões verbais relativas à falta total de controle sobre o autocuidado; Depressão causada pela deterioração que ocorre, apesar de estar cumprindo as condutas determinadas; Apatia. Indiferença ao cuidado ou ao processo de decisão quando há oportunidade; Expressões de insatisfação e frustração pela inabilidade no desempenho de tarefas e/ou atividades prévias; Falta de controle no progresso pessoal; Expressão de dúvida acerca do desempenho do papel; Relutância para expressar os verdadeiros sentimentos, demonstrando medo de ser separado das pessoas que lhe prestam cuidado; Inabilidade para buscar informações acerca do cuidado;
F.R.: Meio-ambiente de cuidado da saúde não terapêutico; Interação interpessoal inadequada; Falta de controle sobre a conduta relacionada à doença; Estilo de vida de desamparo; Doença crônico-degenerativa.

Inatividade (sedentarismo)

Estado no qual o indivíduo apresenta o risco de experimentar insuficiente energia fisiológica ou psicológica para desempenhar ou completar as atividades diárias requeridas ou desejadas.
C.D.: Presença de fatores de risco, tais como:história de prévia intolerância; estado de não condicionamento físico; presença de problemas circulatório e/ou respiratório; Inexperiência com atividades.
F.R.: Vide presença de fatores de risco.

- Incapacidade de manter ventilação espontânea
- Incontinência funcional
- Incontinência intestinal
- Incontinência urinária impulsiva
- Incontinência urinária por pressão
- Incontinência urinária reflexa
- Incontinência urinária total
- Integridade da pele prejudicada
- Integridade tissular prejudicada
- Interação social prejudicada
- Intolerância à atividade
- Isolamento social
Manutenção da saúde alterada
Estado no qual o indivíduo apresenta inabilidade para identificar ou resolver problemas de saúde, ou para buscar ajuda para manter a saúde. (M)
C.D.: Falta demonstrada de conhecimento sobre as práticas básicas de saúde; Falta demonstrada de comportamentos adaptativos a mudanças ambientais internas ou externas; Inabilidade observada ou relatada para assumir responsabilidade de atender práticas básicas de saúde, em uma ou todas as áreas dos padrões funcionais; História de falta de comportamento em busca da saúde; Desinteresse expresso em comportamentos de promoção da saúde; Falta observada ou relatada de equipamento, de finanças ou de sistemas de apoio pessoal.
F.R.: Falta ou alteração significativa das habilidades de comunicação (escrita, verbal, e ou mímica); Falta de habilidade para tomar decisões ou fazer julgamentos;
Dificuldade perceptual ou cognitiva (completa ou parcial falta de habilidade motora brusca ou delicada) ;
Estratégias ineficazes de resolução individual; (M)
Experiência de pensar;
Etapas do desenvolvimento não atingidas;
Estratégias ineficazes de resolução familiar; (M)
Angústia espiritual que torna a pessoa incapacitada ou inválida;
Falta de recursos materiais


Medo:
Estado no qual o indivíduo apresenta um sentimento de temor relacionado a uma fonte identificável que ele pode verificar.
C.D.: Habilidade para identificar o objeto do medo; apreensão; comportamento de fuga; uso de mecanismo de defesa; culpa; imaginação aumentada; ação intencional/deliberada em direção ao objeto do medo; tremores; diaforese; hipervigilância; palpitações; hiperventilação; vergonha.
F.R.: morte e doença; possibilidades de mudanças fisiológicas (taquicardia, perda da visão, perda da audição, perda de uma membro, paralisia); separação de pessoas significativas, numa situação potencialmente ameaçadora (por ex.: hospitalização, tratamento prolongado, prisão, etc.) ;


Memória comprometida
- Mobilidade em cadeira de rodas prejudicada
- Mobilidade física prejudicada
- Mobilidade no leito prejudicada
Mucosa oral alterada
Estado no qual o indivíduo experimenta uma mudança na estrutura e função da mucosa oral.
C.D.: dor ou desconforto oral; língua saburrosa; xerostomia (boca ressequida); estomatite; lesão ou ulceração oral; diminuição ou falta de salivação; placa branca; edema; hiperemia; placa oral; descamação; vesículas; gengivite hemorrágica; halitose.
F.R.: condições patológicas da cavidade oral (radiação sobre a cabeça ou sobre o pescoço); desidratação; dentes cariados; trauma (químico, por ex.: comidas ácidas, drogas, agentes nocivos, álcool; mecânico, por ex.: dentaduras que não se encaixam bem, suporte, tubos endotraqueal, ou nasogástrico, cirurgia na cavidade oral) ; dieta oral zero por mais de 24 horas; higiene oral inefetiva; respiração pela boca; má nutrição; infecção; diminuição ou falta de salivação; medicamento.

- Náusea
- Negação
- Negligência unilateral
- Nutrição alterada: ingestão maior do que as necessidades corporais
- Nutrição alterada: ingestão menor do que as necessidades corporais
- Nutrição alterada: risco para ingestão maior do que as necessidades corporais
Obesidade

C.D.: peso 10% acima do ideal para a idade, sexo, altura e estrutura; peso atual 20% acima do ideal para a idade, sexo, altura e estrutura; prega cutânea do tríceps maior que 15mm nos homens e 25mm nas mulheres.
F.R.: atividade sedentária; disfunção do padrão alimentar observado ou relatado: associa a alimentação a outras atividades; concentra a ingestão para o final do dia; alimenta-se como resposta a uma situação externa, tal como: a hora do dia ou a situação social; alimenta-se em resposta a uma situação interna que não seja fome (por exemplo: ansiedade);

- Padrão de alimentação do lactente ineficaz
- Padrão de sexualidade alterado
- Padrão respiratório ineficaz
- Paternidade ou maternidade alterada
- Perfusão tissular alterada (especificar): cerebral, cardiopulmonar, gastrointestinal, periférica, renal
- Pesar crônico
- Potencial para promoção de bem-estar espiritual
- Potencial para promoção de comportamento infantil organizado
- Potencial para promoção de estratégias de resolução comunitária
- Processo familiar alterado
- Processo familiar alterado, alcoolismo
Processos de pensamento alterados

Estado no qual o indivíduo experimenta uma ruptura nas operações e atividades cognitivas.
C.D.: Interpretação incorreta do ambiente; Falta de concentração; Déficit ou problemas de memória remota, recente ou imediata; Egocentrismo; Hipervigilância ou hipovigilância; Pensamento inapropriado, baseado na irrealidade.
F.R.: Mudanças fisiológicas; Conflitos psicológicos; Distúrbio do sono; Processo de julgamento alterado.

- Proteção alterada

Reação de pesar antecipada

Estado no qual o indivíduo sofre, por antecipação, a possibilidade de perdas de afetos ou de pessoas queridas, de funções ou parte do corpo, ou de bens materiais. (A)
C.D.: Verbalização de possibilidade de perda de objetos significativos; Expressão de angústia diante da possibilidade da perda; Negação do potencial para perda; Culpa; Raiva; Tristeza; Conflitos de sentimentos; Mudanças nos hábitos de alimentação; Alterações no padrão de sono; Alterações no nível de atividade; Libido alterada; Padrão de comunicação alterado.
F.R.: Potencial para perda real ou percebida de objeto (a palavra objeto é usada no sentido mais amplo incluindo pessoas, bens, trabalho, status, lar, ideais, partes e processos do corpo, entre outros); Doença crônica fatal;


- Recuperação cirúrgica retardada
- Recusa (especificar)
- Resposta de alergia ao látex
- Resposta disfuncional ao desmame ventilatório
- Retenção urinária
- Risco para alteração no vínculo pais/recém-nato, filho.
- Risco para angústia espiritual
- Risco para aspiração
- Risco para comportamento infantil desorganizado
- Risco para constipação
- Risco para déficit do volume de líquidos
- Risco para desenvolvimento alterado
- Risco para desenvolvimento alterado
- Risco para desequilíbrio do volume de líquidos
- Risco para disfunção neurovascular periférica
- Risco para disrreflexia autonômica
- Risco para envenenamento
- Risco para infecção
- Risco para injúria
- Risco para injúria no posicionamento perioperatório
- Risco para integridade da pele prejudicada
- Risco para intolerância à atividade,
- Risco para paternidade ou maternidade alterada
- Risco para resposta de alergia ao látex
- Risco para síndrome do desuso
- Risco para síndrome pós-trauma
- Risco para solidão
- Risco para sufocação
- Risco para temperatura corporal alterada
- Risco para tensão do papel de cuidador
- Risco para trauma


Risco para violência: direcionada a si e aos outros

Estado no qual o indivíduo apresenta comportamentos que podem ser dolorosos para si e/ou para os outros. (M)
C.D.: Presença de fatores de risco, tais como linguagem corporal - punhos cerrados, expressão facial tensa, postura rígida, indicando esforço para controlar-se; verbalizações hostis e ameaçadoras, verbalização de ter previamente agredido outros; Aumento de atividade motora, caminhar de um lado para outro, demonstrar excitação, irritabilidade, agitação; Atos agressivos e manifestos como destruição dirigida a objetos no ambiente; Posse de instrumentos agressivos como revólver, faca, munição; Fúria; Comportamento autodestrutivo e/ou atos ativos de agressão suicida; Desconfiança dos outros, idéia paranóide, desilusão, alucinações; Abuso de drogas ou isolamento; Níveis de aumentados de ansiedade; Temor de si e dos outros; Inabilidade para verbalizar sentimentos; Verbalizações repetidas: contínuas queixas, solicitações e demandas; Raiva;Baixa auto-estima; Depressão
F.R.: idem aos fatores de risco descritos acima.

- Risco para violência: direcionada aos outros
Senso-percepção alterada (especificar): visual, auditiva, cinestésica, gustativa, tátil, olfativa

Estado no qual o indivíduo experimenta uma mudança na quantidade ou no tipo de estímulos percebidos, acompanha por uma resposta diminuída, exagerada, distorcida ou enfraquecida a tais estímulos.
C.D.: Desorientação no tempo, no espaço ou com pessoas; Abstração alterada; Conceptualização alterada; Mudança na habilidade de resolver problemas; Mudança verificada ou relatada na acuidade sensorial; Mudança no padrão de comportamento; Ansiedade; Apatia; Mudança na resposta usual ao estímulo; Indicação e alteração na imagem corporal; Inquietação; Irritabilidade; Padrões de comunicação alterados; queixas de fadiga; alteração na postura; mudança na tensão muscular; respostas inapropriadas; Alucinações.
F.R.: Estimulação ambiental alterada, excessiva ou insuficiente; Recepção, transmissão e/ou integração sensorial alterada; Alterações químicas, endógena (eletrolítica) , exógena (drogas, etc.); Estresse psicológico.


- Síndrome de interpretação ambiental, comprometida
- Síndrome de relocação do estresse

Síndrome do trauma de estupro+

Estado no qual o indivíduo é vítima de penetração sexual forçada, violência, contra a sua vontade e consentimento. A síndrome traumática, a qual se desenvolve a partir deste assalto ou tentativa de assalto, inclui uma fase aguda de desorganização do estilo de vida da vítima e um processo prolongado de reorganização deste mesmo estilo.
C.D.: Reações emocionais (raiva, embaraço, temor de violência física e de morte, humilhação, vingança, auto-acusação); mútiplos sintomas físicos (irritabilidade gastrointestinal, desconforto geniturinário, tensão muscular, distúrbio no padrão de sono, mudanças no estilo de vida (mudança de residência; pesadelos repetitivos e fobias; busca de apoio familiar; busca de apoio no circulo social) .

Síndrome pós-trauma

Estado no qual o indivíduo sofre uma intensa resposta emocional a um evento traumático esmagador. (M)
C.D.: Repetição da experiência de um evento traumático, o qual pode ser identificado em atividades cognitivas, afetivas e/ou sensomotoras (surgimento repentino de lembranças do passado, pensamentos intrusos, sonhos e pesadelos repetidos, excessiva verbalização do evento traumático, verbalização de culpa por ter sobrevivido, ou culpa acerca de comportamento requerido para sobreviver; entorpecimento psicossocial (interpretação prejudicada da realidade, confusão, dissociação ou amnésia, impressão vaga e imprecisa sobre o evento traumático, afeto embotado); estilo de vida alterado (autodestrutividade expressa, por exemplo, através do uso e abuso de drogas, tentativa de suicídio ou outra demonstração comportamental, dificuldade em relacionamento interpessoal, desenvolvimento de fobia de trauma, fraco controle de impulso ou irritabilidade e explosividade).
F.R.: Desastres, guerras, epidemias, estrupo, assalto, tortura, doença catastrófica ou acidente.


- Tensão do papel de cuidador
- Termorregulação ineficaz
- Troca de gases prejudicada

+ Esta síndrome inclui os três seguimentos subcomponentes: trauma do estupro, reação composta e reação silenciosa. No texto, cada um aparece como um diagnóstico distinto.

0 comentários:

 

Assine vc também!

Subscribe via email

Cadstre seu email:

Delivered by FeedBurner

Arquivo do blog

EnferNat Copyright © 2009 HTML by Ipietoon. Lay by Nat Viana